Nov
12

Pesquisa indica mercado de trabalho para cegos no Piauí

A inserção da pessoa com deficiência visual no mercado de trabalho em Teresina foi tema do módulo “Formação para a cidadania: educação para valores”. A assistente social e professora Sâmia Suyane Coelho apresentou aos alunos do projeto Um Olhar Para a Cidadania os resultados de uma pesquisa desenvolvida pelo Instituto Comradio.

O estudo foi realizado com pessoas com deficiência visual que vivem na capital piauiense e com gestores de empresas. A partir dos dados obtidos, chegou-se à conclusão de que o preconceito é o principal fator para o baixo número de cegos no mercado de trabalho.

A pesquisa também apontou que as empresas com cegos no quadro de funcionários vivenciaramexperiências agradáveis e sem ônus. Observou-se ainda que alguns empresários defendem a inclusão social, mas não a colocavam em prática.

A fim de superar o preconceito com o cego, o estudo aponta possíveis caminhos, como a atuação mais eficaz do conselho que luta pelos direitos da pessoa com deficiência visual e a capacitação nas empresas contratantes sobre as potencialidades das pessoas com deficiência visual.

Nov
12

Um Olhar Para a Cidadania é selecionados pelo Oi Futuro

O Projeto ‘Um Olhar Para a Cidadania’, realizado pelo Instituto Comradio do Brasil, foi selecionado pelo Programa Oi Novos Brasis. O projeto pretende promover ações voltadas para encontrar soluções concretas que favoreçam a inclusão social do cego e amplie o debate sobre acessibilidade a partir dos meios de comunicação, campanhas e eventos sobre a cidadania do cego, tendo como ponto de partida a formação profissional em Rádio e TV.

Em seu 10º edital de seleção de projetos socioambientais, o Oi Futuro, através do Oi Novos Brasis, reafirma seu compromisso com organizações sociais e iniciativas comunitárias que trabalham pela superação da desigualdade e da discriminação, pela melhoria da qualidade de vida de pessoas e comunidades em situação de vulnerabilidade, na expectativa de contribuir com o desenvolvimento sustentável.

Nov
12

“Hoje sou um radialista com registro profissional”

Uma brincadeira de criança ironicamente mudou a vida de Luiz. Ao cair de uma goiabeira o menino de Buriti dos Lopes, norte do Piauí, teve que se submeter a uma cirurgia, onde resultou na perda da visão aos nove anos de idade. O garoto continuou vivendo da cidade natal até a juventude. A convite de irmãos mais velhos mudou-se para Teresina, conheceu o trabalho da Associação dos Cegos do Piauí (ACEP) e começou a estudar na entidade em 1997.

Luiz cursou ensino fundamental e médio em regime supletivo e em 2006 foi aprovado em dois vestibulares. Quatro anos depois estava formado em História, pela faculdade FAP, e Pedagogia pela UESPI. Em 2007 conquistou aprovação em concurso e hoje é servidor público da Secretaria Estadual Para a Inclusão da Pessoa com Deficiência (SEID). Depois da graduação, voltou a sala de aula para se especializar em História Cultural e logo em seguida iniciou o Curso Técnico em Comunicação do projeto Um Olhar Para a Cidadania.

Casado, pai de um garotinho com meses de vida, hoje, Luiz é locutor e apresenta o programa ‘Gente Eficiente’ na Rádio Difusora AM. “Eu sempre tive vontade de trabalhar no rádio. Não trabalhava porque não tive oportunidade de estudar antes do Projeto e também por não ter registro profissional. Vim ter depois que terminei o curso da Comradio. Hoje sou radialista profissional e isso me causa uma sensação de segurança por ter mais uma profissão”, declara.

Discente da primeira turma do Projeto Um Olhar Para a Cidadania, Luiz Gonzaga Sampaio também é monitor do curso, que atualmente conta com 18 alunos na turma. “O Projeto mostra para as pessoas que, apesar de ter perdido a visão, ou ter perdido um outro sentido qualquer, ela pode trabalhar a eficiência dos outros sentidos para dar a volta por cima e ter uma vida normal. O que é perfeitamente possível”, afirma.

O projeto Um Olhar para a Cidadania é uma realização do Instituto Comradio do Brasil, com apoio da Faculdade Santo Agostinho e da Cooperforte (Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários de Instituições Financeiras Públicas Federais).

Nov
05

“Esse curso serve também como uma terapia para nós”

Durante o módulo ‘Recurso de comunicação: notícia’ os alunos do projeto Um Olhar Para a Cidadania dialogaram sobre conceitos de notícia, suas peculiaridades e as formas de transmiti-la ao público. Para o professor Ubiracy Sabóia, “a tarefa de noticiar deve ser orientada por princípios éticos, a fim de não causar danos para terceiros e nem para o próprio comunicador. Deve ainda, ser transmitida de forma clara, objetiva e detalhada”.

Em sala de aula, o professor também alertou sobre alguns cuidados que o comunicador desse ter no seu trabalho diário. “O comunicador só pode comentar uma notícia quando há conhecimento da parte dele sobre o assunto abordado, por isso a busca pelo conhecimento deve estar presente no dia a dia”, afirmou.

Como atividade prática da disciplina, os alunos levaram para a sala de aula notícias que eles produziram. Para Angela Jomara de Morais, beneficiada do projeto, “esse curso está sendo bom, pois cada dia a gente aprende uma coisa nova e temos a honra de ter o Ubiracy Sabóia como professor que sempre traz novidades para as nossas aulas”.

Os alunos receberam uma apostila em braile contendo um radiodrama que foi anunciado em sala de aula por cada participante, estimulando a oratória e a sua criatividade em interpretar e transmitir a história a qual relacionava-se com a acessibilidade da pessoa com deficiência visual. “Esse curso é uma prática de conhecimento e serve também como uma terapia para nós”, disse Raimundo Nonato Silva.

O projeto Um Olhar para a Cidadania é uma realização do Instituto Comradio do Brasil, com apoio da Faculdade Santo Agostinho e da Cooperforte (Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários de Instituições Financeiras Públicas Federais).

Nov
05

Alunos participam de aula inaugural

A aula inaugural do projeto Um Olhar para a Cidadania aconteceu nesta sexta-feira, 05 de setembro, na Faculdade Santo Agostinho. O coordenador do projeto, Jessé Barbosa, apresentou aos alunos a metodologia e o cronograma de atividades. No encontro, os alunos discutiram os assuntos e temas que serão tratados nas aulas.

Aluna Denise dos Santos

Aluna Solange Maria, falou da importância do projeto em sua vida. “Uma oportunidade única, com a confiança que o projeto nos passa sentimos que podemos fazer uma coisa melhor, algo que pode mudar nossas vidas”, afirmou. Já a aluna Denise dos Santos, 21 anos, disse que o curso pode mudar não só o vida dela, mas as dificuldades encontradas no dia a dia,  “quando conseguimos um emprego o estabelecimento todo muda, mas não muda a cabeça dos funcionários”, disse Denise.

Aluno Raimundo Nonato

Os alunos compartilharam experiências, a partir da aceitação pessoal, da família, e compartilharam as dificuldades do dia a dia, que na maioria das vezes são motivadas por preconceito. Raimundo Nonato revelou suas angustias. “Uma coisa que nos deixa abalados é quantos estamos conversando com uma pessoa, geralmente elas saem e nos deixam falando sozinhos”, comentou.

Solange Maria contou como a mobilidade para deficientes visuais não é levada a sério. “Muitos pensam que fazer rampa é só colocar um monte de barro na frente dos espaços, isso forma buracos e pode causar um acidente grave”, afirmou a aluna.

O projeto Um Olhar para a Cidadania é uma realização do Instituto Comradio do Brasil, com apoio da Faculdade Santo Agostinho e da Cooperforte (Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários de Instituições Financeiras Públicas Federais).

Nov
05

Projetos audiovisuais patrocinados pelo Governo Federal devem oferecer acessibilidade

projeto_ancine LEGENDA ACESSÍVEL: Imagem de uma mão com controle remoto localizado em frente a um aparelho de televisão, ilustrando a veiculação de um filme.  Minuta de instrução normativa com normas e critérios de acessibilidade em projetos audiovisuais financiados com recursos públicos federais, geridos pela Agência Nacional do Cinema – ANCINE está aberta para consulta pública até o dia 21 de maio. O objetivo é estimular a promoção do acesso ao conteúdo audiovisual por pessoas com deficiência. Obras audiovisuais realizadas com recursos públicos federais devem oferecer serviços de legendagem descritiva e audiodescrição direcionados a pessoas com deficiência auditiva e visual. Participe da consulta e contribua com a acessibilidade nas produções audiovisuais patrocinadas pelo Governo Federal. Faça um cadastro no Sistema de Consultas Públicas da ANCINE. Dúvidas sobre o funcionamento do sistema devem ser encaminhadas para ouvidoria.responde@ancine.gov.br. Baixe a minuta com normas e critérios básicos de acessibilidade.
Nov
05

Antecipação de aposentadoria para pessoas com deficiência

IMG_5832 LEGENDA ACESSÍVEL: Imagem de uma pessoa com deficiência visual assinando documento.   Pessoas com Deficiência já podem se aposentar mais cedo. Decreto assinado no mês de dezembro de 2013 pela Presidente Dilma assegura aposentadoria especial. O beneficio pode ser antecipado em até 10 anos, dependendo do caso. “É justo, portanto, que a condição diferenciada de vida dos deficientes seja tratada como tal, e não como invalidez ou doença”, justificou Rousseff, ao assinar a medida. Para ter acesso ao benefício, o segurado deverá preencher requisitos necessários e passar por um processo de avaliação dividido em uma fase administrativa, uma pericial e uma social.
Nov
05

Conheça o audiolivro “A Personalidade do Rádio”

IMG_2038 A educação a um clique. O universo encantador do conhecimento nas mãos de beneficiários do Projeto Um Olhar para a Cidadania. O Instituto Comradio do Brasil fez a entrega do Áudio Livro “A Personalidade do Rádio”, aos alunos do projeto que tem como público alvo, pessoas com deficiência visual de 16 a 30 anos, vinculados a ACEP – Associação dos Cegos do Piauí. A obra é constituída de 13 capítulos que evidenciam desde a história do rádio, até as técnicas para apresentação de programas, entrevistas, gravação de vinhetas e radiodramas. O material completo tem exatamente 92 minutos e 75 segundos de gravação. Para constituição do Audiolivro foram necessárias mais de 70 horas de trabalho, entre locução, edição, criação de efeitos especiais e gravação de pen drives. Todas as etapas foram realizadas no estúdio do Instituto Comradio do Brasil. A interpretação do conteúdo é do jornalista Francisco José. IMG_0784 LEGENDA ACESSÍVEL: Renato, Aluísio e Isaías ouvindo em equipamento de som portátil os primeiros capítulos do audiolivro gravado para os beneficiários do Projeto Um Olhar para a Cidadania de Teresina-PI.    ÁUDIO LIVRO Audiolivro é um recurso que narra com fidelidade um livro construído para ser lido, assim, possibilita que pessoas com algum tipo de deficiência visual, tenham acesso irrestrito ao conteúdo. Os arquivos são gravados em MP3 - MPEG Audio Layer-3, um formato que permite ouvir gravações com ótima qualidade no computador ou em qualquer equipamento de som com entrada USB. CLIQUE E OUÇA CAPÍTULO COMO FALAR NO RÁDIO
Nov
05

Testemunho de beneficiários do Projeto Um Olhar para a Cidadania

Vídeo gravado no dia 06 de dezembro de 2013, durante visita da coordenadora do programa Oi Novos Brasis, Flávia Viana, ai Projeto Um Olhar para a Cidadania.