Abr
30

​Encontro nacional aborda perspectivas para mulheres cegas

Discutir conquistas e desafios das mulheres com deficiência visual. Este é um dos objetivos do I Encontro Brasileiros de Mulheres Cegas e Com Baixa Visão que acontece em Teresina de 29 a 31 de maio. A organização do evento pretende conseguir subsídios para criar uma ONG que possa intervir e atuar nas áreas de interesse dessas mulheres.

Dentre os temas abordados estão a sexualidade, a empregabilidade e o empreendedorismo da mulher cega. Sente-se a necessidade de debater a importância de relacionamentos saudáveis, enfatizando o risco de gravidez indesejada e doenças sexualmente transmissíveis, como também a troca de experiências sobre o protagonismo da pessoa com deficiência visual, com ênfase no papel de mãe, mulher, profissional e estudante.

Além das discussões políticas, oficinas de beleza serão oferecidas a fim de fortalecer a autoestima da mulher cega e com baixa visão. Esse movimento surgiu em novembro de 2014, após discussões do grupo ‘Mulheres Cegas’ no aplicativo Whatsapp. O Instituto Comradio do Brasil apóia a iniciativa através do Projeto Um Olhar Para a Cidadania. Outras informações no blog do Encontro – mulherescegas.blogspot.com.

Abr
27

Selo certifica empresas que promovem acessibilidade

A partir de maio, organizações sediadas em Teresina poderão solicitar a certificação de ‘Empresa Acessível’ por respeitar e promover a acessibilidade nos seus ambientes e empregar pessoas com deficiência. O nível de acessibilidade de cada empresa será constatado por uma equipe técnica que visitará o local, munida de um formulário com perguntas sobre os itens destacados no Marco Regulatório brasileiro sobre acessibilidade. De acordo com a avaliação, a empresa poderá receber um Selo Bronze, Prata ou Ouro. O Selo Bronze será emitido para as empresas que obtiverem a pontuação de 70% a 85%, o Prata para as empresas que obtiverem a pontuação de 85% e 95% e o Ouro para as empresas que tiverem um nível de acessibilidade avaliado com a pontuação acima de 95%.

O lançamento do Selo Acessível acontece no dia 05 de maio, às 8h30 da manhã, no auditório da SEMTCAS. O Selo é uma Política Pública proposta pelo Instituto Comradio do Brasil, através do projeto Um Olhar para a Cidadania, realizado com o apoio do Oi Futuro e da Cooperforte, juntamente com o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência e da Prefeitura Municipal de Teresina, através da Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social.

Com este reconhecimento, as empresas ganhadoras poderão utilizar o Selo na sua propaganda em rádio, TV, meios impressos e internet, sendo identificadas como “Empresa Acessível”. A Empresa deverá manifestar interesse em receber o Selo, que deverá ser feito na sede do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência – CONADE – TE, que fica localizada à rua Álvaro Mendes, 861-Ed. Clemente Fortes, Centro/Norte - Teresina, sala – Térreo. O Edital de convocação esta disponível no endereço: www.conadeteresina.org.br.

O processo de Certificação possui como parâmetro geral de avaliação o respeito ao marco legal sobre acessibilidade vigente no Brasil, expostos no Decreto Federal nº 3.298 de 20 de Dezembro de 1999, que regulamenta a Lei Federal nº 7.853, de 24 de Outubro de 1989 e o Decreto Federal nº 5.296 de 02 de Dezembro de 2004, que regulamenta as Leis Federais nº 10.048, de 08 de Novembro de 2000 e Lei Federal nº 10.098, de 19 de Dezembro de 2000 e na NBR 9050, de Setembro de 1994 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.

PROGRAME-SE

Lançamento do Selo Acessível

Data: 05 de maio de 2015

Horário: 8:30 horas

Local: Auditório da SEMTCAS

Endereço: Rua Álvaro Mendes, 861-Ed. Clemente Fortes, Centro/Norte - Teresina, sala – Térreo)

Abr
24

Alunos assistem aula sobre fundamentos da acústica

Nos dias 17 e 24 de abril os alunos do Projeto Um Olhar Para a Cidadania assistiram aula do módulo ‘Fundamentos da Acústica’, ministrado pelo professor e sonoplasta José Dantas. Durante os encontros foi discutido em sala de aula questões relacionadas ao uso de microfones, mesa de áudio, mixagem e edição de conteúdos jornalísticos e produções especiais para o rádio.

“Tudo que é relacionado a música eu gosto muito. E como nessa disciplina abordou muito os efeitos sonoros através de trilhas eu achei bastante interessante as técnicas utilizadas nessas produções”, disse o aluno Honey Melo. Seguindo o calendário de atividades do Projeto, a turma grava novos programas de rádio nos estúdios da Rede de Rádios EmdiaBrasil.

Abr
20

Avaliação dos programas Nova Visão

Divididos em grupos, os alunos do Projeto Um Olhar Para a Cidadania já gravaram dois programas Nova Visão. Em encontro com o professor do módulo de rádio, Francisco José, que aconteceu no dia 10 de abril, o grupo avaliou as produções e esclareceu dúvidas sobre radiojornalismo. Até o final do curso, os alunos ainda gravarão outros quatro programas, todos relacionados com a rotina da pessoa com deficiência visual.

Abr
20

Alunos planejam intervenção em escolas de Teresina

Os alunos do Projeto Um Olhar Para a Cidadania estiveram reunidos no dia 27 de março para discutir o planejamento de uma intervenção nas escolas de Teresina. A ação acontece em maio e tem por objetivo dialogar de forma lúdica com crianças e adolescentes sobre a temática acessibilidade, especificamente sobre como lidar com as pessoas com deficiência visual, mostrando como atitudes simples podem fazer a diferença no dia a dia dos cegos.

Mar
03

Módulo aborda rotina e produção de programas de rádio

No retorno das atividades em sala de aula, em 2015, durante todo mês de fevereiro, os alunos do projeto Um Olhar para a Cidadania conheceram a estrutura técnica e operacional necessária para se colocar uma produção radiofônica no ar. Durante o módulo ‘Rotina e produção de programas de rádio’ a turma estudou os conceitos de matéria e reportagem, a estrutura de vinhetas e spots. Também foi discutido nos encontros a função dos profissionais que atuam na produção, edição e apresentação.

O módulo foi ministrado por Francisco José, que além do conteúdo apresentou os equipamentos utilizados na rotina de um radialista. Na última sexta-feira do mês (27/02), os alunos, divididos e grupos, gravaram o programa ‘Nova Visão’, com tema geral acessibilidade. “Neste encontro colocamos em prática os assuntos discutidos em sala de aula, desta forma, todos experimentaram as atividades de uma rádio, seja na apresentação de programas ou na condução de reportagens sobre temas que são do cotidiano das pessoas com deficiência”, afirma o professor.

A temática da acessibilidade foi explorada em assuntos relacionados a música, tecnologia assistiva e mercado de trabalho para pessoas com deficiência. Os programas serão editados e disponibilizados, em formato podcast, no blog memória do projeto.

Fev
24

Visita domiciliar: Raimundo Nonato

Raimundo Nonato, 51 anos, adora ler e escrever. “Quando perdi a visão senti muita dificuldade, mas o braile me ajudou bastante. Hoje consigo ler em braile e no computador com o auxilio de programas de leitores de tela. Conheci a ACEP em 2007, lá estudei e com muita luta conclui meu ensino médio”, diz o beneficiado do projeto Um Olhar Para a Cidadania.

Casado há 28 anos, pai de três filhos, atualmente Raimundo Nonato mora com a esposa, uma filha e dois netos na Vila Maria, zona leste de Teresina. Ele ficou cego em 1999 por conta de um glaucoma. Durante visita da monitoria do projeto, em 03 de fevereiro, o aluno falou sobre sua paixão por plantas e animais, e disse que o preconceito é a maior dificuldade que enfrenta todos os dias porque as pessoas não sabem como tratar uma pessoa com alguma deficiência.

“Pego quatro ônibus para ir assistir aula no Projeto e percebo que tudo seria mais fácil se as pessoas nos ajudassem e fossem mais gentis. Mas sempre digo para os meus amigos da Associação dos Cegos: Nunca baixem a cabeça, em frente sempre”, conta Raimundo Nonato. Ele sonha em trabalhar com rádio e construir uma associação para ajudar as pessoas com deficiência visual no município de José de Freitas-PI.

Fev
24

Visita domiciliar: Ângelo Rafael

Ângelo Rafael se sente inseguro em sair de casa sozinho por conta da cegueira. Sua esposa, Daniele, é uma grande incentivadora do jovem de 27 anos e sempre o acompanha nas aulas do projeto Um Olhar Para a Cidadania. O casal mora com o filho Israel em casa cedida por uma amiga, localizada no bairro Jacinta Andrade, zona norte de Teresina.

O beneficiado do projeto recebeu a visita da monitoria em 03 de fevereiro. Durante o encontro ele revelou que perdeu a visão em 2009 por conta de uma conjuntivite primaveril. Na época ele cursava o terceiro período da licenciatura em matemática na Universidade Estadual do Piauí. Ângelo Rafael é pregador e secretário de missões da Igreja Assembléia de Deus.

Por conta da perda da visão o casal teve uma grande mudança na rotina, mas seguem com o pensamento positivo para melhorar o estilo de vida e cuidar do filho. Ângelo Rafael aposta muito no curso de Comunicação Social para qualificar seu trabalho religioso e ampliar suas relações sociais. 

Fev
13

Visita domiciliar: José de Jesus

José de Jesus tem 29 anos e desde os oito vem perdendo a visão gradativamente. Aprendeu o braile depois do casamento, graças ao incentivo da esposa. O jovem é aluno do Projeto Um Olhar Para a Cidadania, oportunidade que alimentou sua esperança de realizar um sonho: ser radialista. “Estou gostando muito do curso. Ele nos orienta tanto para trabalhar, como a se relacionar com as pessoas, respeitando o próximo”, afirma.


Nesta quinta (12) ele recebeu a visita domiciliar da monitora do Projeto, Milena Andrade, e contou um pouco de sua história de vida. José de Jesus também faz um curso técnico em Recursos Humanos, mas não esconde sua animação com o rádio. “Espero ter a oportunidade de trabalhar com comunicação, numa emissora de rádio e ser um bom comunicador. Espero fazer sucesso”, disse o jovem.