Jan
12

Reunião de parceria com a SEID

O Projeto Um Olhar Para a Cidadania já iniciou as inscrições para a nova turma em 2016. Além disso, está renovando e iniciando novas parcerias para dar continuidade ao trabalho. Na última sexta-feira, oito de janeiro, o Presidente do Instituto Comradio, Iraildon Mota, a Coordenadora do Projeto Um Olhar Para a Cidadania, Milena Rocha e o monitor do projeto Luiz, participaram de reunião com Mauro Eduardo, da Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência. Segundo Mauro, a SEID sempre apoio projetos como este, que são importantes para estimular as pessoas com deficiência visual a se profissionalizarem.

Dez
03

"Eu recomendo a Escola Comradio do Brasil"

Paulo Roberto é aluno do Curso Técnico em Comunicação Social da Escola Comradio do Brasil e recebeu seu Diploma na última sexta, 27 de novembro. Junto com os alunos da turma "A" e do Projeto Um Olhar Para a Cidadania ele comemorou mais uma etapa da conclusão do curso, pois agora pode obter seu Registro Profissional de comunicador.

"Eu venho da área jurídica e pra mim a Comradio foi um divisor de águas nessa área em que eu trabalho, pois como profissional melhorei a oratória, a questão de se comportar na frente de outras pessoas, entre outros. Além disso, me acrescentou muito como pessoa e profissional trocar experiências com os alunos do Projeto Um Olhar Para a Cidadania. Eu recomendo a Escola Comradio", afirma o aluno Paulo Roberto.

Para quem tem vontade de fazer o curso, estão abertas as inscrições para as novas turmas de Comunicação Social. A aula inaugural acontecerá no dia 16 de janeiro de 2016. São duas turmas novas, cada uma com 30 vagas: uma noturna durante a quarta, quinta e sexta, das 18 h as 22 h e outra aos finais de semana, no sábado das 8 h as 18 h e no domingo de 8 h as 12 h. Podem se inscrever concludentes do ensino médio, estudantes de comunicação e profissionais interessados em ampliar seus conhecimentos.

As matrículas podem ser pela Internet, preenchendo um formulário no site escola.comradio.com.br, ou visitando o escritório da Escola na Av. Jóquei Clube, 299 no Ed. Eurobusiness / Sala 1012. O curso habilita para trabalhar em Rádio, TV, Cerimonial de Eventos, Assessoria de Comunicação 2.0 e Gestão de Mídias Sociais.

Dez
03

AMARC realiza seminário para debater convergência de mídia

A informação está cada vez mais veloz. A internet e os aparelhos celulares smarthphones trouxeram uma nova forma de fazer comunicação. Rádio, tevê e impresso expandiram a sua atuação para plataformas digitais e criaram novos mecanismos de interação com o público. E como essas novas tecnologias estão sendo absorvidas pelas rádios comunitárias no Brasil?

Com o intuito de compartilhar experiências e promover o debate sobre o futuro das rádios comunitárias em tempos digitais, a Associação Mundial de Rádios Comunitárias (AMARC-Brasil) realiza nos dias 4 e 5 de dezembro, na Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Teresina, o Seminário Regional Norte-Nordeste sobre convergência midiática. A cobertura do evento será realizada ao vivo pela Rede de Rádios Comradio do Brasil, através do site www.comradio.com.br.

                                     

De acordo com a coordenadora da AMARC, Claudia Arango, o encontro reunirá grupos de radialistas, professores, estudantes e coletivos de mídia para debater sobre as principais transformações sociais, políticas e culturais da mídia.

Claudia destaca ainda que o Seminário pretende fortalecer a discussão sobre gênero e também aproximar os saberes dos povos originários com as novas tecnologias e, para que isso seja possível, o evento contará com a presença de ativistas do movimento negro e indígena que atuam em emissoras comunitárias.

Além disso, o Seminário será um espaço para conhecer experiências que aliam comunicação e cidadania, como o Radiotube e novos conceitos como a ideia de Rádio Híbrido, trazida pelo Laboratório de TeLemídia da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ).

O encontro é aberto ao público e tem entrada gratuita. O Seminário ocorrerá na UFPI, no Auditório Maria Salomé Cabral do Centro de Ciência da Educação a partir das nove da manhã. A programação completa do Seminário já está disponível para consulta no link: http://goo.gl/WwBmuR

Out
09

​Proposta do Canal do Cego é apresentada ao Minc

Um canal de frequência de rádio FM aberta destinado a audiodescrição. Esta proposta de iniciativa do Instituto Comradio do Brasil foi apresentada no dia 06 de outubro, em Brasília, ao Ministro interino da Cultura, João Brant e à sua equipe técnica. A proposta do Canal do Cego tem como objetivo ampliar o acesso das pessoas com deficiência visual a teatros, cinemas e espetáculos culturais.

Segundo o Ministro é importante acertar na estratégia e ampliar a articulação. “Contem conosco aqui do Ministério da Cultura. Vamos trabalhar nesta ideia envolvendo a Coordenação Geral de Programas e Projetos Culturais do Minc e a Secretaria do Audiovisual. Acho que precisamos ampliar a articulação para conseguir acertar bem a estratégia e sermos cobrados para ampliar as ações de política pública de inclusão”, disse o Ministro Interino, João Brant.

A proposta do Canal do Cego também foi apresentada ao Ministério das Comunicações, à Empresa Brasil de Comunicação – EBC, à Secretaria Nacional dos Diretos Humanos da Presidência da República e ao Instituto Cooperforte. As reuniões de apresentação aconteceram no período de 05 a 07 de outubro em suas respectivas sedes em Brasília.

A audiodescrição é um recurso que permite a descrição das informações que não são compreendidas por meio dos diálogos, como por exemplo, expressões corporais e faciais, efeitos especiais, mudanças de tempo e de ambiente, além da leitura de títulos, créditos e outros detalhes que surjam na tela da TV, cinema, jogos de futebol, teatro ou em eventos. O Canal do Cego é um produto originado a partir do Projeto Um Olhar Para a Cidadania – UOC que desenvolveu um pequeno transmissor de FM com custo bem menor que o do equipamento tradicional de audiodescrição. O projeto UOC tem o apoio dos Institutos Cooperforte e OI Futuro.

Out
06

Assine a petição para criar o Canal do Cego

O serviço de audiodescrição é essencial para que cegos desfrutem de produções culturais, esportivas e midiáticas. Saiba mais sobre o Canal do Cego, frequência de rádio FM aberta destinada à audiodescrição, e assine a nossa petição no site do projeto:http://canaldocego.comradio.com.br/  


Set
23

Empresas que promovem a acessibilidade nos seus ambientes receberam Selo ’Empresa Acessível’

O Selo ‘Empresa Acessível’ foi entregue na manhã desta terça-feira, 22 de setembro, como forma de reconhecimento às empresas que promovem acessibilidade e empregam pessoas com deficiência em Teresina. No evento, que aconteceu no auditório do Centro Pastoral Paulo VI, a Faculdade Santo Agostinho, a Adapta Fácil e as Lojas Dragão receberam respectivamente os selos Ouro, Prata e Bronze. As empresas foram visitadas por uma comissão certificadora e preencheram um questionário de avaliação de acessibilidade.

Participaram da mesa de honra Antenilton Marques, Presidente do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência; Mauricéia Neves, Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e Assistência Social – SEMTCAS; Hipólito Lima, Comissão do Direito das Pessoas com Deficiência da OAB/PI; Dorival Mendes, CREA/PI; Marcelino Martins, Presidente do CREFITO; Flávia Viana, Coordenadora de Projetos Sociais do Instituto Oi Futuro; Iraildon Mota, Presidente do Instituto Comradio e Sanderlan Ribeiro, Conselho de Arquitetura e Urbanismo CAU/PI.

Durante a solenidade, o Coordenador de projetos do Instituto Comradio do Brasil, Jessé Barbosa, disse que a iniciativa começou com uma pesquisa realizada em nome do Projeto Um Olhar Para a Cidadania, que quis entender como é o mercado de trabalho para pessoas com deficiência visual em Teresina. A pesquisa foi realizada através de entrevistas com cegos e seis diretores de recursos humanos de empresas de médio e grande porte de Teresina. A pesquisa chegou à conclusão de que os setores de recursos humanos têm ideias pré-concebidas sobre deficientes visuais, vistas como incapazes e dependentes.

”O principal impedimento para não contratação de pessoas com deficiência visual é o preconceito dos empregadores, que muitas vezes não concebem a pessoa com deficiência visual como alguém capaz de realizar plenamente as atividades. A maioria dos empregadores leva em conta primeiro a deficiência e depois o perfil e a qualidade dos profissionais. A noção geral no interior da empresa e demais trabalhadores considerados normais é que o trabalhador com deficiência não terá um desempenho satisfatório durante o serviço, acarretando ônus ao empregador”, explica Jessé.

No entanto, existem casos de experiências relevantes de interação com deficientes visuais nas empresas em Teresina. “Também existem casos de pessoas que conviveram com deficientes visuais e se tratou de uma relação sem ônus para as empresas, e pessoas que deram oportunidade e constataram que o trabalho muitas vezes é mais eficiente, mais elaborado por que as pessoas com deficiência têm capacidade maior para superar as dificuldades do que as pessoas ditas normais”, afirma o coordenador.

Levando em consideração a pesquisa, viu-se que era necessário incluir as empresas no mundo dos deficientes e não o contrário, afirma Jessé. “A forma mais adequada para isso foi premiar as empresas que se tornarem acessíveis para todos, assim inicia-se um processo de combate ao preconceito a partir da própria prática da empresa”.

As empresas que se candidataram receberam uma comissão para avaliação dos equipamentos de acessibilidade, que levava formulário questionário com 150 perguntas baseada na NBR 9050, que são normas técnicas para acessibilidade. As Lojas Dragão que obtiveram a pontuação de 70% a 85% recebeu o Selo Bronze, a Adaptafácil que obteve a pontuação de 85% e 95% recebeu o Selo Prata e a Faculdade Santo Agostinho que teve um nível de acessibilidade avaliado com a pontuação acima de 95% recebeu o Selo Ouro. As empresas certificadas poderão utilizar o Selo na sua propaganda em rádio, TV, meios impressos e internet, sendo identificadas como “Empresa Acessível”. 

Set
18

Empresas que promovem acessibilidade recebem certificado

Empresas que respeitam e promovem acessibilidade nos seus ambientes e empregam pessoas com deficiência em Teresina, serão certificadas no dia 22 de setembro com o Selo “Empresa Acessível”. O evento acontecerá no auditório do Centro Pastoral Paulo VI, localizado na Avenida Frei Serafim, às 9 horas. O nível de acessibilidade de cada organização foi avaliado por uma equipe técnica composta pelo Instituto Comradio do Brasil - através do Projeto Um Olhar para a Cidadania, Conselho Regional de Arquitetura e Urbanismo – CREA, SEMTCAS e CONADE. 

De acordo com a avaliação, a empresa poderá receber um Selo Bronze, Prata ou Ouro. O Selo Bronze será emitido para as empresas que obtiverem a pontuação de 70% a 85%, o Prata para as empresas que obtiverem a pontuação de 85% e 95% e o Ouro para as empresas que tiverem um nível de acessibilidade avaliado com a pontuação acima de 95%. As empresas certificadas poderão utilizar o Selo na sua propaganda em rádio, TV, meios impressos e internet, sendo identificadas como “Empresa Acessível”.

Para o Coordenador de Projetos do Instituto Comradio do Brasil, Jessé Barbosa, as empresas têm que se incluir no mundo das pessoas com deficiência, não o contrário. “O objetivo principal do Selo não é punir e sim estimular que as empresas tenham mais acessibilidade, que possam acolher todas as pessoas com suas limitações, inclusive aquelas que não são permanentes, como uma mulher grávida ou uma pessoa que quebrou uma perna. Esta iniciativa mostra a necessidade de nós nos incluirmos e entendermos como funciona o mundo da pessoa com deficiência”.

O Projeto Um Olhar para a Cidadania (cidadania.comradio.com.br) que contribuiu na atualização da Lei que regulamento o Selo Empresa Acessível em Teresina, publicado em Diário Oficial, já é uma tecnologia social certificada pela Fundação Banco do Brasil (http://www.fbb.org.br/tecnologiasocial) desde 2013. O projeto conta com o apoio dos Institutos OI Futuro e Cooperforte, e atua na formação de pessoas com deficiência visual para trabalhar no rádio e na internet na perspectiva de encontrar soluções concretas que favoreçam a inclusão social.

Set
16

Por que criar um canal de audiodescrição para cegos?

O Instituto Comradio do Brasil propõs a criação do Canal do Cego, no 3º Encontro Norte-Nordeste de DOSVOX e outras tecnologias assistivas às pessoas com deficiência visual, realizado no dia 06 de setembro de 2015, em Teresina. A intenção é destinar uma frequência de FM aberta exclusiva para áudio-descrição, ampliando o acesso das pessoas com deficiência visual a produção cultural, esportiva e midiática, através de receptor portátil de rádio.

A audiodescrição é um recurso que permite a descrição das informações que não são compreendidas por meio dos diálogos, como por exemplo, expressões corporais e faciais, efeitos especiais, mudanças de tempo e de ambiente, além da leitura de títulos, créditos e outros detalhes que surjam na tela da TV, cinema, jogos de futebol, teatro ou em eventos.

No Brasil, de acordo com o IBGE há cerca de 24 milhões de pessoas com alguma deficiência visual, além de pessoas com deficiência intelectual, os disléxicos e idosos com baixa acuidade visual. Mesmo com a oferta de áudio-descrição crescendo a cada dia nos cinemas, teatros e outros espaços de lazer os empresários reclamam do alto custo dos equipamentos, o que atrasa o avanço deste campo.

No entanto, dentro do projeto Um Olhar Para a Cidadania foi desenvolvido um pequeno transmissor de FM com custo bem menor que o do equipamento tradicional. Com alcance médio de 200 metros, acoplado a um player com conectores adaptados aos projetores de cinemas. O equipamento batizado de UOC (iniciais do projeto) recebe o sinal do canal de audiodescrição do filme e transmite em uma frequência de rádio FM aberta para a sala de cinema. O cego pode ouvir a partir de qualquer receptor de rádio.

É neste ponto que entra a proposta do Canal do Cego. Ter uma frequência de rádio FM aberta destinada a audiodescrição no Brasil representa um grande avanço na inclusão das pessoas com deficiência visual. Durante o Encontro de Dosvox as organizações realizadoras, apoiadoras e convidados assinaram uma moção de apoio à iniciativa.

Entre elas estão o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CONADE); Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência (SEID); Movimento Brasileiro das Mulheres Cegas (MBMC); Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NCE-UFRJ); Sociedade de Assistência aos Cegos (SAC); Associação Fluminense de Amparo aos Cegos (AFAC); Centro de Atenção Psicossocial de referência e tratamento para pessoas com sofrimento psíquico (CAP); Associação de Cegos do Piauí (ACEP), entre outros.

Ago
31

Resultado pré-seleção: correspondente EmdiaBrasil Rádio

O Instituto Comradio do Brasil divulga a seleção de pré-selecionados no processo seletivo para correspondente da EmdiaBrasil Rádio. Inscreveram-se para o certame candidatos de 17 cidades do Piauí, entre elas: Teresina, Oeiras, Picos, São Raimundo Nonato, Queimada Nova, São Luís do Piauí, Dom Expedito Lopes, Lagoa do Barro do Piauí, São João da Varjota, Bocaina, Fartura do Piauí, José de Freitas, Vila Nova, Canto do Buriti, Anísio de Abreu, São João do Piauí, Remanso. Veja lista.

Os pré-selecionados estão sendo convocados para a segunda fase da seleção, que é composta de teste e audição para produtor/a e locutor/a. O candidato deverá produzir uma notícia contendo no mínimo o lead, que responde as perguntas: o que, quem, quando, como, por que, como e onde e deverá apresentar em voz alta diante da banca examinadora. Os temas do texto obrigatoriamente devem ser sobre convivência com o semiárido e inclusão social.

Alunos e ex-alunos do Projeto Jovens Radialistas do Semiárido, da turma de São Raimundo Nonato, ou que moram próximo à cidade farão o teste em São Raimundo Nonato. Alunos e ex-alunos da turma de Oeiras, ou que moram próximo à cidade farão o teste em Oeiras. Alunos e ex-alunos da turma de Picos, ou que moram próximo à cidade farão o teste em Picos. Nas seguintes datas:

a. São Raimundo Nonato - Dia 04 de setembro, às 18h00, no Salão paroquial da Diocese de São Raimundo Nonato;

b. Oeiras - Dia 05 de setembro, às 14h, no ECC da Igreja Católica;

c. Picos - Dia 06 de setembro, às 8h00, no CEFOR, Av. Senador Delcídio Nunes, 1.300;

d. Teresina - Dia 08 de setembro, às 18h, no Edifício Eurobusiness, Sala 1011, 10 andar